segunda-feira, 25 de julho de 2016

Cuidado com as Trevas

“O uso não autorizado de 'Here Comes The Sun' [Aí Vem o Sol] na Convenção Republicana em Cleveland é uma ofensa e contraria os desejos da família de George Harrison. Se tivesse sido 'Beware of Darkness' [Cuidado com as Trevas], talvez tivéssemos aprovado”, diz mensagem postada no perfil de Facebook do guitarrista.
'Here Comes The Sun', composta por George Harrison, foi tocada em convenção do Partido Republicano
carosamigos.com.br|Por Redação

Encerramento Ciclo de debates O que fazer?

Desmonte da educação pública: o que podemos fazer de prático para mudar essa realidade? Construir novas ferramentas de luta? Ou, fortalecer os dispositivos democráticos que temos? O que podemos aprender com a juventude que ocupou as escolas e subverterem todas as regras demarcadas?

sexta-feira, 22 de julho de 2016

Muro ao redor da estrela de Donald Trump


https://archive.is/ffEJ9


Alguém erigiu uma borda de concreto (muro) ao redor da estrela de Donald Trump no Hollywood Walk of Fame, o mesmo dia em que o Partido Republicano oficialmente nomeou como seu candidato presidencial.
As noticias publicados indicam que Plastic Jesus, um conhecido artista de rua de Los Angeles, é responsavel pela instalação. 

A parede, é claro, faz referência às observações passadas por Trump propondo a construção de um muro ao longo da fronteira EUA com o México.
No Instagram, Plastic Jesus compartilhou uma foto dela e escreveu: "vistantes de Hollywood na famosa calçada da fama foram confrontados com uma edição incomum da famosa estrela de Trump. Alguém tinha construído uma "parede de concreto" alta e cinza em torno dela. Completa com placas de 'Mantenha-se fora " e coberta com arame farpado. A adição não-oficial para a estrela iconica apareceu no início da tarde terça-feira, para a diversão dos espectadores. "

quinta-feira, 21 de julho de 2016

#‎VOLTAMARIACHI‬! PELO FIM DA CENSURA PRATICADA PELO FACEBOOK


"Vale ressaltar que o Mariachi é o Coletivo de Mídia Independente (do Rio de Janeiro) com o maior número de seguidores e o maior alcance orgânico de rede, não que exista uma competição no território de mídia livre, mas para a organicidade da rede de uma página para com as outras isso é simbólico e efetivo no alcance das produções independentes. Antes de ser derrubada, a página estava com alcance maior que inúmeros canais do monopólio de mídia na plataforma do facebook."
Leia mais: http://midiacoletiva.org/voltamariachi-pelo-fim-da-censura…/

segunda-feira, 18 de julho de 2016

Valência mostrando a facel real dos Jogos Olímpicos Rio2016. Sinta-se no Rio de Janeiro!!


Amnistía Internacional España
Pusieron a prueba s
u puntería olímpica... ¡y se llevaron una sorpresa! No pases olímpicamente. FIRMA y COMPARTE http://amn.st/6188BxwoG
-----------------------
Vídeo realizado por nuestros/as súper activistas de Amnistía Internacional Valencia
 

domingo, 17 de julho de 2016

[Espanha] 80º aniversário da Revolução Social

 

espanha-80o-aniversario-da-revolucao-social-1
 
Proposta para lembrar e visibilizar o que foi o 19 de julho de 1936.

Vamos pendurar nas varandas das nossas casas, ateneus, sindicatos, etc… a bandeira rubro-negra, para não esquecer que foi feita uma revolução libertária, para que todos saibam o porquê e para quê aquelas mulheres e homens foram às ruas com armas na mão para defender a liberdade.
Não podemos esquecer!

19 de julho varandas vermelhas e pretas, para trazer à memória nossa história.
SP FL CGT Manresa
 

Obama realiza reunião de 3 horas com lideres do Black Lives Matter


Líderes do Black Lives Matter passaram três horas com o presidente Obama nesta quarta-feira para exigir uma ação em relação aos últimos  tiroteios envolvendo policiais.
DeRay McKesson, uma das figuras mais proeminentes do grupo, juntou vários outros líderes do Black Lives Matter na Casa Branca para "levar ações concretas", que o presidente pode tomar a fim de apaziguar seus membros.
O blog da Casa Branca, que lista a agenda do presidente, faz menção de uma reunião com os ativistas e aplicação da lei, mas não menciona especificamente o do Black Lives Matter
"Na parte da tarde, o presidente se reunirá pessoas de todo o país - incluindo ativistas dos direitos civis, de fé,  e líderes eleitos - para ter uma conversa sobre as formas que podemos manter as pessoas seguras, construir a confiança da comunidade e garantir justiça para todos
americanos ", lê-se.
A reunião vem dias depois McKesson foi preso em um protesto em Baton Rouge com a morte de Alton Sterling - um homem negro armado que foi baleado enquanto lutava pela a aplicação da lei.
Embora McKesson já se reuniu com o presidente antes, a reunião provavelmente vai se tornar um tema controverso dado as recentes violência decorrentes de apoiadores negros.
O candidato Donald Trump acusou o grupo de dividir a nação (terça-feira durante um segmento na Fox News).
"Eu diria que eles estão dividindo a América", disse Trump.
"Eu vi o que eles disseram sobre a polícia em várias marchas e comícios, eu vi minutos de silêncio convocados para este ser humano horrível que atirou nos policiais."
"E eu vi isso e eu acho que é, certamente, é muito divisivel e  que eles estão prejudicando a si mesmos."

Sugerir uma edição

Julho Negro 20 de julho - 23 de julho · Rio de Janeiro

Julho Negro | Integrantes do BlackLivesMatter e da campanha Don't Kill for Me, Safe Games for All estarão no Rio de Janeiro articulando as lutas, fortalecendo as mobilizações e a resistência negra.
Haverá uma roda de conversa no Ato Vígilia Pela Liberdade De Rafael Braga sobre superencarceramento e racismo no Brasil e nos Estados Unidos, com integrantes do movimento Black Lives Matter, Deborah Small (a confirmar), Patricia Oliveira do Mecanismo Rio de Janeiro e da Campanha Pela Liberdade de Rafael Braga Vieira
Veja o calendário de atividades completo [em construção]: no evento abaixo.


 
20 de julho - 23 de julhoRio de Janeiro



Julho Negro | Integrantes do Black Lives Matter e da campanha Don't Kill for Me, Safe Games for All estarão no Rio de Janeiro articulando as lutas, fortalecendo as mobilizações e a resistência negra.

Veja o calendário de atividades [em construção]:

● Dia 20/07 (quarta-feira) ●

09h: Café da manhã com familiares de vitimas da violência policial e a juventude negra e favelada.
11h: Coletiva de imprensa com Black Lives Matter, Don't Kill For Me: Safe Games for All, Rede de Comunidades e Movimentos Contra a Violência, Movimento Mães de Maio,
Helen Nzinga do Fórum de Juventudes do Rio de Janeiro, Fórum Social de Manguinhos, Coletivo Papo Reto e Campanha pela liberdade do Rafael Braga....
13h: Ato-vigília pela liberdade de Rafael Braga Vieira, em frente ao Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro - Av. Marechal Câmara, 370 - Centro.

Na ocasião, às 15h faremos uma roda de conversa sobre superencarceramento e racismo no Brasil e nos Estados Unidos, com integrantes do movimento Black Lives Matter, Deborah Small (a confirmar),
Patricia Oliveira do Mecanismo Rio de Janeiro e da Campanha pela Liberdade de Rafael Braga.

Link do evento:
https://www.facebook.com/events/150451838711886/

● Dia 21/07 (quinta-feira) ●

09h: Café da manhã no Ilê Omiojuaro, em Nova Iguaçu. Roda de conversa sobre religião e mobilização antirracista.
14h: Visita ao Museu da Maré - Av. Guilherme Maxwell, 2 – Timbau, Maré.
15h: Roda de conversa sobre violêncial racial e gênero, no Ceasm - Praça dos Caetés n° 7 - Timbau, Maré.
17h: Panfletagem pelas ruas da Maré.
19h: Exibição do vídeo da campanha "Racismo virtual as consequências são reais" e roda de conversa "Impactos do racismo, das políticas de drogas e da violência na vida das mulheres negras", atividade organizada pelo Ponto de Cultura Mulheres Negras na História da ONG
Criola, no Centro Cultural Justiça Federal - Av. Rio Branco, 241- Centro.

Com a participação de Jurema Werneck, médica e diretora da Ong Criola; representante da W3haus, agência digital responsável pela campanha; Deborah Small, graduada em Direito e Políticas Públicas pela Universidade de Harvard;
Monica Cunha Cunha do Movimento Moleque.

● Dia 22/07 (sexta-feira) ●

11h: Visita à Manguinhos e encontro com mães de vitimas de violência do Estado.
14h: Roda de conversa na Escola Estadual Clóvis Monteiro sobre Juventude, racismo e violência de Estado.
18h: Vigília da Candelária.

● Dia 23/07 (sábado) ●

10h: Caminhada Candelária Nunca Mais (2016).
15h: Atividade Jovem Negro Vivo, no Méier. (Em breve mais informações!)
--
Uma construção do
Fórum de Juventudes do Rio de Janeiro, Rede de Comunidades e Movimentos contra a Violência, Coletivo Papo Reto, Campanha Pela Liberdade de Rafael Braga Vieira, Mães de Maio, Justiça Global e Anistia Internacional Brasil.
--
O Black Lives Matter (Vida negras importam) é um movimento negro que luta contra a violência policial e o racismo nos Estados Unidos. A Don't Kill For Me: Safe Games for All é uma campanha da Brazil Police Watch, que tem como objetivo a redução violência policial no Brasil. A organização foi criada após o assassinato do jovem americano Joseph Ernest, em 2007. O rapaz foi assassinado por um PM no Rio, quando comemorava seu aniversário de 30 anos.
#JulhoNegro #BlackLivesMatter #VidasNegrasImportam #CandeláriaNuncaMais #LiberdadeParaRafaelBraga

------
Black July | Members of Black Lives Matter and from the campaign Don't Kill for Me, Safe Games for All will be in Rio de Janeiro helping to articulate the struggles, strengthening mobilizations and supporting black resistance.

Have a look at the activities schedule: [under construction]

● Wednesday 20th July ●

9am: Breakfast with family members of victims of police violence and black and favelada youth.
11am: Press Conference with Black Lives Matter, Don't Kill For Me: Safe Games for All, Rede de Comunidades e Movimentos Contra a Violência, Movimento, Mães de Maio, Helen Nzinga do Fórum de Juventudes do Rio de Janeiro, Fórum Social de Manguinhos, Coletivo Papo Reto e Campanha pela liberdade do Rafael Braga.
1pm: Demonstration (vigil) in support for the freedom of Rafael Braga, in front of the Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro - Av. Marechal Câmara, 370 - Centro.

As part of the demonstration, at 3pm we will have a conversation circle about mass incarceration and racism in Brazil and the USA with members of Black Lives Matter, Deborah Small (to confirm), Patricia Oliveira from Mecanismo Rio de Janeiro and from the Campaign for the Freedom of Rafael Braga.

Follow the link to the event:
https://www.facebook.com/events/150451838711886/

● Thursday 21st July ●

9am: Breakfast at Ilê Omiojuaro, in Nova Iguaçu, with a conversation circle about religion and anti-racism mobilization.
2pm: Visit to the Museum of Maré.
3pm: Conversation circle about racial violence and gender.
5pm: Leafleting at Maré.

● Friday 22nd July ●

11am: Visit to Manguinhos and meeting with mothers of victims of state violence.
2pm: Conversation circle at Clóvis Monteiro State School about Youth, Racism and State Violence.
6pm: Vigil of the Candelaria.

● Saturday 23rd July ●

10am: Walk Candelária Nunca Mais (Candelária Never Again) (2016).
3pm: Activity Jovem Negro Vivo (Black Youth Alive), in Méier. (More information soon!)
--
A partnership between Fórum de Juventudes do Rio de Janeiro, Rede de Comunidades e Movimentos contra a Violência, Coletivo Papo Reto, Campanha Pela Liberdade de Rafael Braga Vieira, Mães de Maio, Justiça Global e Anistia Internacional Brasil.
--
Black Lives Matter is a movement that fights against police violence and racism in the United States of America. Don't Kill For Me: Safe Games for All is a campaign by Brazil Police Watch, which aims to reduce police violence in Brazil. The organization was set up after the murder of Joseph Ernest, a young American man, in 2007. Joseph was murdered by a Military Police officer in Rio while celebrating his 30th birthday.

#JulhoNegro #BlackLivesMatter #VidasNegrasImportam #CandeláriaNuncaMais #LiberdadeParaRafaelBraga
 

sábado, 16 de julho de 2016

Por que a França tem sido alvo de tantos ataques?

 


   
Image copyright Foto: EPA
A França é um dos países ocidentais que mais têm sido alvo de atentados ligados ao radicalismo islâmico nos últimos tempos. Apenas em 2015, o terrorismo matou 149 pessoas e deixou centenas de feridos, segundo dados do parlamento francês.
Isso sem contar os vários projetos de atentados interceptados a tempo pelos serviços de inteligência do país: mais de dez desde os ataques de janeiro de 2015, de acordo com as autoridades.
 
Em março deste ano, por exemplo, a polícia prendeu um suspeito nos arredores de Paris que detinha um importante arsenal de armas de guerra, dezenas de quilos de material explosivo e milhares de bolinhas de aço, que ampliam o impacto destrutor de bombas.
Na noite desta sexta-feira, o primeiro-ministro francês, Manuel Valls, declarou que o autor do atentado na noite de quinta-feira em Nice, o franco-tunisiano Mohamed Lahouaiej Bouhlel, "é, sem dúvida, ligado ao islamismo radical". Na manhã deste sábado o grupo autointitulado Estado Islâmico assumiu a responsabilidade pela atrocidade.
"A França é hoje, claramente, o país mais ameaçado. Um dos números da revista em francês do Estado Islâmico, Dar al Islam, tinha a manchete: 'Que Alá amaldiçoe a França'", afirmou Patrick Calvar, diretor-geral do Departamento Geral de Segurança Interna (DGSI) da França, o serviço de inteligência do país, a uma Comissão Parlamentar de Inquérito sobre os atentados de 2015.
Há várias razões que explicam por que a França se tornou um alvo constante de ataques.
A primeira delas são as recentes operações militares em países como a Síria e o Iraque, contra o Estado Islâmico, e no Mali, que também visam radicais islâmicos.
 
Outra razão é o fato de a França ter a maior comunidade muçulmana da Europa, estimada em 6 milhões de pessoas, o que corresponde a quase 10% de sua população.
Essa população imigrante ou nascida na França de origem estrangeira sofre há décadas problemas de integração e é, em boa parte, desfavorecida socialmente.
Residem em áreas que concentram uma população imigrante de baixa renda, o que cria verdadeiros guetos e favorece o comunitarismo, acirrando o sentimento de exclusão social.
Nessas periferias consideradas problemáticas, as taxas de desemprego são maiores do que a média nacional.
Os autores dos últimos atentados e projetos de ataques na França têm um perfil semelhante: fracasso escolar e profissional, com "bicos" ou empregos de baixa qualificação, condenações na Justiça por crimes de violência, tráfico ou roubo. E, em boa parte dos casos, radicalização na prisão.
A França é o país europeu de onde mais saíram jovens para se aliar ao Estado Islâmico na Síria ou no Iraque.
Segundo o governo, cerca de 1,8 mil franceses estariam implicados em movimentos jihadistas nos dois países. Em torno de 600 ainda estariam neles. Desse total, mais de 200 são mulheres, número que vem crescendo nos últimos meses.
Durante muito tempo, inclusive após os atentados contra a revista satírica Charlie Hebdo e o supermercado judaico, em janeiro de 2015, clérigos muçulmanos ainda faziam livremente discursos considerados radicais.

Lei da laicidade

O modelo do multiculturalismo adotado em outros países europeus não é aplicado na França em razão da lei da laicidade, de 1905, que determina a separação entre o Estado e a Igreja.
Dessa forma, o Estado francês não pode oferecer serviços públicos específicos para determinada comunidade religiosa ou financiar a construção de mesquitas.
Foi com base nessa lei que foi aprovada, em 2004, a proibição de usar símbolos religiosos nas escolas públicas ou ainda, em 2010, o uso do niqab (véu islâmico que deixa apenas os olhos à mostra). Orações em grupo nas ruas foram proibidas em 2011.
 
Quando essas leis foram aprovadas no país, líderes de grupos islâmicos radicais proferiram ameaças contra o país.
A lei da laicidade sempre suscita discussões polêmicas na França, como a questão de servir ou não carne de porco (não consumida por muçulmanos) nas cantinas escolares.
A cultura laica do Estado francês é utilizada por radicais islâmicos como uma espécie de arma de propaganda para reafirmar a identidade muçulmana e reforçar, ao mesmo tempo, o sentimento de exclusão de muitos jovens.
"Nós sabemos que o Estado Islâmico planeja novos ataques e que a França é claramente visada", ressaltou Calvar aos parlamentares.

sexta-feira, 15 de julho de 2016

20 JUL - Ato Vígilia Pela Liberdade De Rafael Braga


20 JUL  - Ato Vígilia Pela Liberdade De Rafael Braga

 



20 de julho às 13:00 a 21 de julho às 18:00

 

Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro - MPRJ
Avenida Marechal Câmara, 370 - Centro, 20020
-080 Rio de Janeiro

quinta-feira, 14 de julho de 2016

5 AGO - Grande Ato Contra As Olimpíadas SP

 

5 AGO - Grande Ato Contra As Olimpíadas SP

 


Sexta, 5 de agosto às 17:00


Vão livre do MASP
Avenida Paulista, 1578, 01310 São Paulo

O QUE FAZER?

A Associação José Marti, na próxima sexta-feira, dia 15/07 às 19h30 convida a todas e todos para debaterem com os Sindicalistas: O QUE FAZER?
"Num mundo cada vez mais mercantilizado, pautado pela lógica da rapidez das máquinas e marcado pela dura sobrevivência da maioria das pessoas perguntamos: qual o papel de um sindicato? Pedro Tierra lembra-nos que o ofício de poeta, de certo modo, pode se resumir na observação dos gestos humanos e na sua tradução pela subversão da palavra. Neste sentido, perguntamos: qual a função de um sindicalista?" (Dino Gilioli)
 

quarta-feira, 13 de julho de 2016

XVI Encontro de Culturas Tradicionais da Chapada dos Veadeiros.

Encontro de Culturas Tradicionais da Chapada dos Veadeiros: 16 anos de resistência




Aldeia Multiétnica, Vivências, Rodas de Prosa, Encontro de Raizeiros e Pajés, Encontro de Lideranças Negras, Feira de Experiências Sustentáveis do Cerrado, Dia da Lavadeira, shows, apresentações culturais e oficinas integram a programação da 16ª edição de um dos mais significativos eventos multiculturais do Brasil

Há 16 anos, na segunda quinzena de julho, o Brasil se encontra na Chapada dos Veadeiros. A vila de São Jorge, distrito de Alto Paraíso / GO, recebe representantes de diferentes povos e comunidades de todo país para celebrar os saberes e fazeres da cultura tradicional. Durante 15 dias – este ano, de 15 a 30 de julho – os olhares se voltam aos interiores, às roças, às aldeias indígenas, aos remanescentes quilombolas, aos pequenos produtores, artesãos, raizeiros, rezadeiras, parteiras, batuqueiros, aos artistas populares. Uma representação clara da riqueza imensurável do patrimônio cultural imaterial brasileiro e da força da fé popular que move nosso País.

Para se garantir como um evento transformador, ano após ano o Encontro de Culturas Tradicionais da Chapada dos Veadeiros aprende a lidar com as tecnologias sociais dos grupos tradicionais que passam por São Jorge e com eles busca construir diferentes espaços de conhecimento e formulação de estratégias que compreendam suas necessidades, demandas e dinâmicas. Foi assim que as comunidades tradicionais da região da Chapada dos Veadeiros e povos indígenas de diferentes partes do país tomaram para si esse projeto, que já faz parte da agenda coletiva de seu imaginário, apesar das dificuldades financeiras que prejudicam sua participação e a continuidade do evento.

Durante toda sua história, o Encontro se esmera em reforçar que a cultura tradicional excede conceitos. A partir de uma análise nos caminhos da legislatura nacional, fica evidente a falta de investimento e proteção às culturas que, por lei, deveriam ser resguardadas no Brasil. Pensar e debater políticas públicas, garantir formas de organização que priorizem os direitos dos povos e comunidades tradicionais é um dos grandes objetivos desse encontro. Este ano, mais do que nunca, o Encontro de Culturas se posiciona como um projeto cultural de resistência, que luta pela construção de um Brasil verdadeiro, que reconhece e valoriza suas origens.

Às portas da data programada para a realização de sua 16ª edição, o Encontro de Culturas trava uma série de batalhas para garantir sua (re)existência. Uma campanha de financiamento coletivo foi criada para custear o transporte, a hospedagem e a alimentação de representantes do povo Kalunga, uma das mais numerosas e engajadas comunidades tradicionais participantes do evento, responsável pela cerimônia de abertura do evento na vila de São Jorge, com o tradicional hasteamento do mastro do Divino Espírito Santo, a apresentação da Sussa e a encenação do Império Kalunga. A campanha fica no ar até o dia 14 de julho no 
www.kickante.com.br/kalungas.

PROGRAMAÇÃO

As atividades do 16º Encontro de Culturas Tradicionais da Chapada dos Veadeiros começam na sexta-feira, 15 de julho, com a décima edição da Aldeia Multiétnica, que este ano apresenta o tema “Comunicação, Saberes Tradicionais e Novas Linguagens”. Serão sete dias de convivência com diferentes etnias indígenas, como Fulni-ô - os grandes anfitriões do encontro deste ano, Krahô, povos do Alto Xingu, Xavante, Kayapó, Guarani Mbya, Desana. Pacotes incluindo alimentação, camping e vivência estão sendo vendidos pelo site 
www.aldeiamultietnica.com.br. A proposta é que, iniciada a experiência, todos os participantes incorporem-se ao cotidiano de uma aldeia. Em 10 anos de existência, mais de 20 etnias diferentes já passaram pela Aldeia, localizada a cerca de 10 km da Vila de São Jorge, em uma RPPN (Reserva Particular do Patrimônio Natural), às margens do rio São Miguel e entrecortada pelas serras da Chapada dos Veadeiros. A vivência possibilita o aprendizado sobre os fundamentos da organização social indígena, além de rudimentos do idioma, do artesanato, da gastronomia, das pinturas corporais, dos cantos, das danças e de outras manifestações culturais desses povos. É a oportunidade de conviver com líderes, xamãs, artesãos, agricultores. Uma dinâmica que oferece conhecimentos históricos, culturais e sociais das etnias participantes e dos povos indígenas em geral.

No dia 22 de julho, como manda a tradição, ao final da vivência na Aldeia os indígenas se direcionam à Vila de São Jorge e passam o “comando” da festa aos remanescentes quilombolas da Comunidade Kalunga e aos povos e comunidades tradicionais convidados. Até o dia 30, a vila será tomada por atividades, como shows, apresentações dos grupos de cultura tradicional, oficinas, rodas de prosa, intervenções artísticas e espetáculos teatrais. 

Este ano, pela primeira vez, o evento recebe o I Encontro de Raizeiros e Pajés na Chapada dos Veadeiros, que acontecerá de 20 a 22 de julho na Aldeia Multiétnica, e o Encontro de Lideranças Negras, que será realizado de 23 a 25 de julho em São Jorge. A Feira de Experiências Sustentáveis do Cerrado, montada pelo terceiro ano consecutivo com o patrocínio do Sebrae, é um dos destaques desta edição e contará com estandes que terão como foco a economia criativa do Nordeste Goiano.

A programação cultural contará com a participação das quatro comunidades precursoras do evento, representantes da região da Chapada dos Veadeiros: a Caçada da Rainha de Colinas do Sul, a Comunidade do Sítio Histórico Kalunga, o Congo de Niquelândia e a Folia de Crixás. 

Além destes grupos, a 16ª edição contará com atrações selecionadas mediante edital lançado no site do evento. Foram 177 propostas, enviadas das cinco regiões do país, das quais a curadoria selecionou 24 para a composição da programação artística e de parte das oficinas em 2016. Já está confirmada a participação de artistas como Mariana Aydar, Mestrinho, grupo Berimbrown, Gabriel Levy, Tambores do Tocantins e o grupo mexicano Danza Del Venado. Esta edição também contará com o Dia da Lavadeira, realizado em 26 de julho, uma releitura da tradicional Festa da Lavadeira, permeada pelas cores do maracatu e do coco, marcantes na cultura pernambucana.

Serviço
XVI Encontro de Culturas Tradicionais da Chapada dos Veadeiros.
Quando? 15 a 30 de julho de 2016
Onde? Vila de São Jorge, Alto Paraíso, Goiás
Site: 
www.encontrodeculturas.com.br

 

quarta-feira, 6 de julho de 2016

FLAGRANTE DE SEGURANÇAS DO METRÔ AGREDINDO FOTÓGRAFOS E JORNALISTAS


FLAGRANTE DE SEGURANÇAS DO METRÔ AGREDINDO FOTÓGRAFOS E JORNALISTAS
O vídeo abaixo mostra o momento em que jornalistas e fotógrafos independentes são agredidos por seguranças do ‪#‎MetrôRio‬ enquanto registravam um protesto contra as ‪#‎OlimpíadasRio2016‬ no Centro da cidade. Os comunicadores - Matias Maximiliano, Ellan Lustosa e Roger MacNaught - ainda estão na delegacia. Dois deles foram arbitrariamente detidos, porém, minutos depois foram liberados, pois o delegado de pla...
Ver mais

-0:33

https://www.facebook.com/MutiraoRio2016/videos/149566328784225/